Associação ACEGIS

Violência no Namoro: 58% dos jovens já foram vítimas de violência

Os dados disponíveis indicam que a violência no namoro tem vindo a ganhar cada vez mais expressão entre os jovens. Dois estudos revelam uma realidade muito preocupante relativamente à violência no namoro: mais de metade dos jovens já sofreu violência no namoro e maioria acha natural.

Prevenir e sensibilizar, face à forte probabilidade de que as atuais vítimas de violência no namoro se tornarem, mais tarde, vítimas de violência doméstica.


No Dia dos/as Namorados/as procuramos alertar e dar visibilidade à problemática da violência no namoro. Salientando a importância da prevenção e sensibilização para a violência no namoro, atendendo às possíveis consequências, nomeadamente a prevalência da violência doméstica na vida adulta.

Estudo Nacional de 2019 sobre a violência no namoro realizado pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta revela que mais de metade dos jovens que namoram ou namoraram consideram natural alguns comportamentos de violência por parte do companheiro.

O número de jovens, que namoram ou já namoraram, que diz ter sofrido pelo menos uma forma de violência por parte do companheiro ou ex-companheiro é de 58%, mais 2% do que em 2018.

A maior parte dos/as jovens (67%) considera como natural algum dos comportamentos que configuram a violência no namoro, sendo que o estudo demonstra que existe uma “elevada prevalência e legitimação de formas especificais de violência”.

Um estudo sobre violência no namoro em contexto universitário, promovido pela Associação Plano i,  mostra que mais de metade dos/as inquiridos/as foi vítima de violência no namoro e 34,3% admitem já tê-la praticado.

Mais de metade dos casos — 54,7% dos/as jovens foram expostos a pelo menos uma forma de violência no namoro, sendo que 34,3% assumiu já ter praticado pelo menos um ato de violência no namoro. 

A forma mais frequente de violência no namoro é a violência psicológica — presente em 93,9% dos casos reportados ao Observatório, seguida da violência social, da violência física e, por fim, da violência sexual.

Em 19% das situações, as vítimas foram ameaçadas de morte por namorados/as ou ex-namorado/a.

  • – 72.3% das vítimas não apresenta queixa

O Observatório da Violência no Namoro (ObVN) registou, entre Janeiro e Dezembro de 2018, 101 denúncias, perfazendo uma média de 8.4 denúncias por mês.

As vítimas são ou foram predominantemente mulheres, de nacionalidade portuguesa, estudantes e com uma orientação sexual heterossexual. A sua média de idades é de 22.03 anos.

Em 72% dos casos reportados não ter sido apresentada uma denúncia às autoridades competentes e de a maioria das vítimas não ter solicitado ajuda junto de qualquer estrutura de apoio especializado vem evidenciar a dificuldade associada à exposição destes casos.


Estes são alguns dos resultados do Estudo Nacional sobre a Violência no Namoro, no âmbito do Programa UNi+ — Prevenção da Violência no Namoro em Contexto Universitário, promovido pela Associação Plano i.

 

 
 
 

Partilhar

Like this:

Like Loading...
%d bloggers like this: