Associação ACEGIS

11 de outubro – Dia Internacional da Rapariga

O Dia Internacional da Rapariga foi instituído pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2011, com o objetivo de promover a proteção dos direitos das meninas e raparigas pelo mundo e a eliminação das discriminações de que ainda são alvo.


Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável veio justamente afirmar a importância da igualdade entre homens e mulheres para a realização dos 17 objectivos de desenvolvimento sustentável. Adotada em 2015, a Agenda coloca o combate às desigualdades (Objetivo 10), a educação (objetivo 4) e a promoção da igualdade de género (Objetivo 5), na nova agenda de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas

Alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável implica assegurar que todas as  raparigas têm condições para realizar o seu potencial e participar em igualdade de direitos e oportunidades em todas as esferas da sua vida.

Publicação Anual

Dia Internacional da Rapariga: Práticas Nefastas, Direitos Negados

ACEGIS - 11 de outubro de 2020

Abuso sexual, casamentos infantis, prematuros e forçados, mutilação genital feminina. Práticas nefastas contra centenas de milhares de MENINAS em todo o mundo, e que impedem a igualdade.

O mais recente relatório anual do Fundo de População da ONU, Situação da População Mundial 2020, estima que 4,1 milhões de meninas serão submetidas à mutilação genital feminina ainda este ano; e que 33 mil meninas, todos os dias, são obrigadas a casar, comprometendo os direitos e o futuro de 12 milhões de meninas em todo o mundo.

Além disso, uma preferência extrema por filhos em vez de filhas em alguns países alimentou a seleção de sexo ou a negligência extrema, resultando em 140 milhões de “mulheres desaparecidas”, que poderiam ter sobrevivido num mundo sem discriminação.

Casamento Infantil

Todos os anos, 12 milhões de raparigas casam antes dos 18 anos

Todos os anos, 12 milhões de raparigas casam antes dos 18 anos, quase uma menina a cada cerca de três segundos. Uma em cada sete casa antes dos 15 anos.

O casamento infantil, precoce ou forçado, afeta a vida de milhões de meninas em todo o mundo. Globalmente, estima-se que 700 milhões de meninas e mulheres vivas hoje se casaram antes de completarem 18 anos.

Mutilação Genital Feminina

Todos os anos 3,9 milhões de meninas em risco

Mais de 200 milhões de raparigas e mulheres foram vítimas de mutilação genital feminina em todo o mundo, incluindo 500 000 que vivem na Europa. A nível mundial, calcula-se que 3,9 milhões de raparigas estão anualmente em situação de risco.

De acordo com novas pesquisas do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), estima-se que cerca de 68 milhões de mulheres e raparigas poderão ser submetidas a esta prática até 2030.

Acesso à Educação

Em todo o mundo, mais de 130 milhões de meninas em idade escolar estão fora da escola

Em todo o mundo, hoje, mais de 130 milhões de meninas em idade escolar estão fora da escola. A educação das raparigas é um direito fundamental e é também uma alavanca poderosa para o desenvolvimento.

Todos os dias, milhões de meninas de todo o mundo vêm seu direito à educação negado e impedidas de ir à escola, de saber ler e escrever. É necessário promover e proteger o direito à educação das raparigas e aumentar a conscientização sobre suas necessidades e potencial. 

Violência Sexual

Cerca de 15 milhões de meninas entre 15 e 19 anos já sofreram abuso sexual

Em todo o mundo, cerca de 15 milhões de meninas de 15 a 19 anos sofreram sexo forçado durante a vida. 

A violência contra as Mulheres e Raparigas é internacionalmente reconhecida como uma violação grave dos seus direitos humanos, uma manifestação das relações, historicamente desiguais, entre homens e mulheres, baseada no género.

Susana Pereira

Associação ACEGIS

1 100 milhões de meninas exigem o fim das desigualdades, o fim da discriminação pelo simples facto de terem nascido do sexo feminino. O mundo não continuar a perder o potencial de uma parte tão significativa da sua população.

“Todos os dias, dezenas de milhares de meninas vêm a sua saúde, os seus direitos e o seu futuro roubado. Algumas são submetidas à mutilação genital feminina. Muitas forçadas a “casar” ainda em crianças, e outras são negligenciadas ou passam fome, simplesmente porque são mulheres." Natalia Kanem Subsecretária-Geral e Diretora Executiva do UNFPA, Fundo de População das Nações Unidas

Artigo em Destaque

Segundo o relatório do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP) são necessárias ações urgentes e aceleradas para acabar com a mutilação genital feminina, o casamento infantil e outras “práticas prejudiciais” e abusos praticados contra mulheres e meninas.

Artigos Relacionados

Ainda não recebe a nossa newsletter?

Receba as nossa notícias e artigos no seu e-mail. Fique a par das nossas novidades.

Join 16.648 other subscribers

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

Todos os Direitos Reservados.

Telefone: (+351) 212 592 663

Intervimos ativamente para a construção e mudança de paradigma da Economia Social e Solidária.

Pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.

Partilhar

Like this:

Like Loading...
%d bloggers like this: