Associação ACEGIS

Temos de permanecer vigilantes e rejeitar todos os discursos extremistas e de cariz odioso, para que as vítimas não se tornem novamente alvo de perseguição e ataques. 

Susana Pereira - ACEGIS

Ciganos: um Holocausto Esquecido

Em memória do meio milhão de pessoas ciganas assassinadas, pelo regime nazis, durante a Segunda Guerra Mundial.

Ciganos: Vítimas de um Holocausto esquecido. Lembramos os atos hediondos cometidos pelo regime nazi a esta minoria, que conduziram ao extermínio de meio milhão de pessoas ciganas, durante a Segunda Guerra Mundial. Estima-se que mais de 20 mil pessoas morreram no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau.

Assinalam-se hoje os 76 anos da libertação pelas tropas aliadas do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, símbolo máximo da barbárie, do ódio e da intolerância. É nossa responsabilidade comum lembrar as atrocidades cometidas no passado recente, de forma a prevenir que no futuro sejam cometidos crimes semelhantes contra a humanidade. 

Numa altura em que somos testemunhas do aumento de discursos extremistas e de cariz odioso contra a comunidade cigana, incluíndo os discursos políticos, lembramos os atos hediondos cometidos pelo regime nazi a esta minoria. Vítimas de um Holocausto esquecido que conduziu ao extermínio de meio milhão de pessoas ciganas, durante a Segunda Guerra Mundial.

A Europa atual confronta-se com o mesmo dilema de há 76 anos. Hoje, o racismo, a xenofobia e os discursos de ódio continuam generalizados e a agenda para os  direitos humanos está a perder terreno para os movimentos autoritários e antidemocráticos. 

As mesmas vítimas continuam a sofrer de discriminação, segregação e marginalização. Ostracizadas pela sociedade, confrontam-se com o preconceito, a intolerância e a exclusão social na sua vida diária. Numa mesma Europa que ainda não derrubou os muros da divisão, as amarras do ódio, do preconceito e todas as formas de discriminação baseadas na  intolerância. 

Uma mesma Europa que incita ao ódio, que fomenta o medo e a ameaça, contra minorias étnicas e grupos mais vulneráveis. Que exclui, marginaliza e segrega pessoas, através do fundamentalismo e da violência. Por isso, é cada vez mais urgente travar as divisões da sociedade. 

Temos de permanecer vigilantes e rejeitar todos os  discursos extremistas e de cariz odioso, para que as vítimas não se tornem novamente alvo de perseguição e ataques.  A barbárie, o obscurantismo e o extremismo violento não podem ter lugar nas sociedades democráticas do século XXI.

 

Por, Susana Pereira

Fundadora da ACEGIS

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

Artigos Relacionados

Todos os Direitos Reservados.

Telefone: (+351) 212 592 663

Intervimos ativamente para a construção e mudança de paradigma da Economia Social e Solidária.

Pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.

Partilhar

Like this:

%d bloggers like this: