Associação ACEGIS

ONU alerta para um "agravamento dramático" da fome no mundo

Relatório da ONU estima que quase 10% da população mundial – entre 720 a 811 milhões de pessoas – passaram fome no ano passado, quase mais 161 milhões do que em 2019.

A ONU alerta para um “agravamento dramático” da fome em termos mundiais em 2020, devido à pandemia de Covid-19, e diz que são necessários milhares de milhões de euros para combater a desnutrição.

O relatório anual “O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo”, elaborado por cinco agências das Nações Unidas, estima que entre 720 milhões e 811 milhões de pessoas no mundo foram vítimas do flagelo da fome em 2020, com quase um décimo da população mundial a sofrer de subnutrição.

O número sugere que será necessário um tremendo esforço para o mundo honrar sua promessa de acabar com a fome até 2030.  

 

Fome no mundo, em 2020

1 -811
Milhões de Pessoas passam fome
1
milhões são crianças com menos de 5 anos

O número de pessoas subnutridas no mundo continuou a aumentar em 2020. Entre 720 e 811 milhões de pessoas no mundo enfrentaram a fome em 2020.

O número de pessoas afetadas pela fome no mundo aumentou em 2020 sob a sombra da pandemia COVID-19. Depois de permanecer praticamente inalterado de 2014 a 2019, a prevalência de subnutrição (PoU) subiu para cerca de 9,9 por cento em 2020, de 8,4 por cento um ano antes.

Em termos populacionais, levando-se em consideração a incerteza estatística adicional, estima-se que entre 720 e 811 milhões de pessoas no mundo passaram fome em 2020. Considerando o meio da faixa projetada (768 milhões), mais 118 milhões de pessoas passaram fome em 2020 do que em 2019 – ou até 161 milhões, considerando o limite superior do intervalo.

Em comparação com 2019, 46 milhões de pessoas a mais na África, quase 57 milhões a mais na Ásia e cerca de 14 milhões a mais na América Latina e no Caribe foram afetadas pela fome em 2020. 

Embora a prevalência global de insegurança alimentar moderada ou grave tenha aumentado lentamente desde 2014, o aumento estimado em 2020 foi igual ao dos cinco anos anteriores combinados. Quase uma em cada três pessoas no mundo (2,3 mil milhões) não tinha acesso a alimentação adequada em 2020 – um aumento de quase 320 milhões de pessoas em apenas um ano.

As agências das Nações Unidas recordam que nas edições anteriores deste relatório já tinham alertado que a segurança alimentar de milhões de pessoas em todo o mundo, entre as quais muitas crianças, “estava em perigo”, lembrando que  já desde meados da década de 2010 o flagelo da fome começou a dar sinais de crescimento, “destruindo as esperanças de um declínio irreversível”. Perturbadoramente, em 2020 a fome disparou em termos absolutos e proporcionais, ultrapassando o crescimento populacional: cerca de 9,9 por cento de todas as pessoas foram estimadas como desnutridas no ano passado, contra 8,4 por cento em 2019.

“Infelizmente, a pandemia continua a expor as fraquezas dos nossos sistemas alimentares, que ameaçam a vida e a subsistência de pessoas em todo o mundo”, escrevem os líderes das cinco agências da ONU no prefácio da edição de 2021 do relatório.

O relatório foi assinado por cinco agências do sistema da Organização das Nações Unidas (ONU): Organização de Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Programa Alimentar Mundial (PAM) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Mundo 2021 - O mundo enfrenta um momento crítico

Nos últimos anos, foram vários os fatores que colocaram o mundo fora do caminho para acabar com a fome e a desnutrição em todas as suas formas até 2030. Os desafios aumentaram com a pandemia COVID-19 e as medidas de contenção relacionadas. O relatório apresenta a primeira avaliação global de insegurança alimentar e desnutrição em 2020 e oferece algumas indicações de como a fome pode parecer até 2030 num cenário ainda mais complicado devido aos efeitos duradouros da pandemia.

O relatório destaca que, embora a pandemia tenha causado grandes retrocessos, há muito a aprender com as vulnerabilidades e desigualdades. Se levados a sério, esses novos insights e conhecimentos podem ajudar a colocar o mundo de volta e no caminho certo para acabar com a fome, a insegurança alimentar e a desnutrição em todas as suas formas.

 

Relatório: O Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Mundo 2021.  Transformando os sistemas alimentares para a segurança alimentar, nutrição melhorada e dietas saudáveis acessíveis para todos . Roma, FAO.

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

Artigos Relacionados

Todos os Direitos Reservados.

Telefone: (+351) 212 592 663

Intervimos ativamente para a construção e mudança de paradigma da Economia Social e Solidária.

Pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.

Partilhar

Like this:

%d bloggers like this: