Associação ACEGIS

18 de setembro
Dia Internacional da Igualdade Salarial

Salário igual para trabalho de igual valor

Globalmente, estima-se em 20% as disparidades salariais entre homens e mulheres.

O Dia Internacional da Igualdade Salarial, comemorado anualmente a 18 de setembro, foi estabelecido em 2019 pela Assembleia Geral da ONU, que expressou profunda preocupação com o lento progresso no empoderamento económico das mulheres, a desvalorização do trabalho tradicionalmente desempenhado por mulheres e as desigualdades salariais entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

 

O direito ao trabalho é condição essencial à efetivação da igualdade de direitos, na independência económica e na realização profissional, pessoal e social das mulheres. É condição essencial na construção de uma sociedade mais justa, paritária e desenvolvida.

Em todo o mundo, apesar de décadas de ativismo e das dezenas de leis sobre igualdade salarial, as mulheres ainda ganham menos de 77 centavos para cada dólar recebido por homens. Globalmente, estima-se em 20% as disparidades salariais entre homens e mulheres.

As persistentes e históricas desigualdades de poder entre homens e mulheres, normas sociais discriminatórias e estereótipos de género sobre as competências das mulheres e dos homens, bem como a subvalorização do trabalho das mulheres, são alguns dos fatores que contribuem para esta realidade.

A eliminação das disparidades salariais entre homens e mulheres exige o combate a todas as suas causas profundas: incluindo a menor participação das mulheres no mercado de trabalho, o trabalho invisível e não remunerado, o maior recurso das mulheres ao trabalho a tempo parcial e às interrupções de carreira, bem como a segregação vertical e horizontal baseada em estereótipos de género e na discriminação.

Pandemia adia Igualdade de Género por mais 135 anos

A pandemia da COVID-19 agravou consideravelmente a desigualdade de género. A conclusão é do relatório anual do Fórum Económico Mundial e estima que a igualdade entre os sexos só seja alcançada daqui a 135 anos, mais 35 anos do que no relatório do ano passado. Portugal ocupa o 22.º lugar entre 156 países. 

hiato económico de género teve uma melhoria apenas marginal desde a edição de 2020 e deve levar mais 267,6 anos para ser fechadoSó em 2288 é que será atingida a igualdade económica entre os sexos. O lento progresso deve-se a tendências opostas – enquanto a proporção de mulheres entre os profissionais qualificados continua a aumentar, as disparidades de rendimento persistem e poucas mulheres estão representadas em cargos de gestão.

Nenhuma crise é neutra sob o ponto de vista de género. A atual pandemia da COVID-19 e as suas consequências socioeconómicas têm um impacto negativo crescente sobre os direitos das mulheres, agravando os efeitos diferenciados das mulheres ao nível do empregodos salários e nas progresso das carreiras, agudizados pela segregação sexual nas profissões e em setores de atividade, que resultará em desigualdades ainda mais profundas entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

Neste contexto, e de acordo com as estimativas da ONU Mulheres, a pandemia empurrará mais 47 milhões de mulheres e raparigas de todo o mundo abaixo do limiar da pobreza, elevando o número total de mulheres nessa situação para 435 milhões.

Pandemia e Igualdade de Género: neutralizar os impactos sociais e económicos

Os impactos sociais e económicos da COVID-19 afetam de forma desproporcional as mulheres e as raparigas, agravando as desigualdades de género pré-existentes, e ameaçando inverter todos os progressos alcançados. Estima-se que a pandemia poderá empurrar mais 47 milhões de mulheres e raparigas de todo o mundo abaixo do limiar da pobreza.

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

Artigos Relacionados

Ainda não recebe a nossa newsletter?

Subscreva gratuitamente a nossa Newsletter e receba as nossas notícias e artigos no seu e-mail!

Join 2.086 other subscribers
Todos os Direitos Reservados.

Telefone: (+351) 212 592 663

Intervimos ativamente para a construção e mudança de paradigma da Economia Social e Solidária.

Pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.

©2021 ACEGIS

Partilhar

Like this:

Like Loading...
%d bloggers like this: