Associação ACEGIS

Dados Feminicídio: 45 mil mulheres assassinadas em todo o mundo, no último ano

Novo relatório da da ONU Mulher e do UNDOC estimou um total de 81 mil homicídios de mulheres registados em todo o mundo, 45 mil foram cometidos por parceiros íntimos ou familiares próximos.

No ano passado, mais de cinco mulheres ou meninas foram assassinadas por hora no mundo. Os dados constam de um novo estudo das Nações Unidas sobre violência de género. De todos os feminicídios cometidos em 2021, 56% foram pelas mãos de parceiros íntimos ou familiares. Para a ONU Mulher, o número mostra que a casa deixou de ser um lugar seguro.

Um novo estudo do UNODC e da ONU Mulheres mostra que, em 2021, mais de cinco mulheres e raparigas foram mortas a cada hora por um familiar. Os departamentos das Nações Unidas para as Mulheres e o UNDOC consideram estes números “elevados e alarmantes”, especialmente se for tido em conta que o número real de assassínios é, provavelmente, muito superior.

Em 2021, foram 81.100 as pessoas do sexo feminino assassinadas em todo o mundo. Entre todas as mulheres e meninas mortas intencionalmente no ano passado, cerca de 56%, 45.000, foram mortas por parceiros íntimos ou outros membros da família, mostrando que o lar não é um lugar seguro para muitas mulheres e meninas. 

 

A Diretora Executiva da ONU Mulheres, Sima Bahous, afirmou “Por trás de cada estatística de feminicídio está a história de uma mulher ou menina que falhou. Estas mortes são evitáveis – as ferramentas e o conhecimento para fazer isso já existem. As organizações de direitos das mulheres monotorizam os dados e defendem mudanças nas políticas e responsabilidade. Agora precisamos de uma ação conjunta e com toda a sociedade, de forma a que se cumpra o direito das mulheres e meninas de se sentirem seguras, em casa, nas ruas e em qualquer lugar”. 

A Diretora Executiva do UNODC, Ghada Waly, disse: “Nenhuma mulher ou menina deve temer por sua vida por ser quem ela é. Para acabar com todas as formas de homicídios de mulheres e meninas relacionados ao género, precisamos contar todas as vítimas, em todos os lugares, e desta forma melhorar a compreensão dos riscos que causamo feminicídio, para que possamos desenvolver melhores respostas ao nível da prevenção e uma justiça criminal mais eficaz .” 

Em 2021, em média, mais de cinco mulheres ou meninas foram mortas a cada hora por alguém de sua própria família.

A ONU Mulheres e o Gabinete da ONU contra a Droga e o Crime (UNODC) consideram estes números “elevados e alarmantes”, especialmente se for tido em conta que o número real de assassínios é, provavelmente, muito superior.

Cerca de quatro em cada dez mortes de mulheres em 2021 não foram considerados femicídios por provas insuficientes, de acordo com a ONU, que refere ainda que os números têm permanecido praticamente inalterados ao longo da última década.

Quanto às disparidades regionais, embora o feminicídio seja um problema que preocupa todos os países do mundo, o relatório mostra que, em números absolutos, a Ásia registrou o maior número de feminicídios na esfera privada 17.800,  enquanto mulheres e meninas foram mais risco de serem mortos por seus parceiros íntimos ou outros membros da família na África. Em 2021, a taxa de  homicídios relacionados ao género na esfera privada foi estimada em 2,5 por 100.000 mulheres na população da África, um número muito superior ao do continente americano (1,4), Oceânia (1,2), Ásia (0,8) e Europa (0,6).

Ao mesmo tempo, as descobertas sugerem que o início da pandemia de COVID-19 em 2020 coincidiu com um aumento um significativo aumento dos femicídios na América do Norte e no Sul da Europa. E, em 25 países desses dois continentes, aumentou também o número de mortes provocadas por outros familiares que não os maridos ou companheiros das vítimas.

 

Factos e Números: Acabar com a Violência contra as Mulheres

A violência contra as mulheres e raparigas é internacionalmente reconhecida como uma violação grave dos seus direitos humanos, uma manifestação das relações, historicamente desiguais, entre homens e mulheres, baseada no género.

1 em cada 3 

.

Em todo o mundo, uma em cada três mulheres ou raparigas já sofreram violência física ou sexual durante a sua vida, na maioria dos casos foi cometida pelo seu parceiro.

5 a cada hora

.

Em 2021, mais de cinco mulheres ou meninas foram mortas a cada hora por alguém de sua própria família.

Em Portugal, 1 a cada 11 dias

 

Desde o início do ano e até 30 de setembro, foram assassinadas 24 mulheres em contexto de violência doméstica: uma mulher a cada 11 dias

As Nações Unidas designaram o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres para aumentar a conscientização sobre todas as formas de violência contra as mulheres e raparigas. Pretende-se, neste dia, em particular, alertar a sociedade para as diversas formas de violência exercida contra as mulheres e raparigas, as suas consequências psicológicas, sociais e económicas, não só para as vítimas, como para as suas famílias e comunidade.

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

Artigos Relacionados

Todos os Direitos Reservados.

Telefone: (+351) 212 592 663

Intervimos ativamente para a construção e mudança de paradigma da Economia Social e Solidária.

Pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.

©2022 ACEGIS

Partilhar

Like this:

Like Loading...
%d bloggers like this: