Negar que há racismo em Portugal «conduz ao desastre e à radicalização de posições»

“O negacionismo, a persistência na desvalorização do fenómeno conduz ao desastre e à radicalização de posições”, alertou a ministra. Acrescentando que «apregoar a inexistência de fenómenos racistas na sociedade portuguesa tornou-se quase um lugar comum» e que «a maior expressão de preconceito racial consiste, precisamente, na sua negação»